Exames

Ressonância Magnética

É o método mais moderno e sofisticado de se obter imagens para diagnóstico, não se usando Raios X, onde as imagens são obtidas após o paciente entrar no aparelho em forma de túnel onde existe um grande “imã” que dará energia aos diversos átomos do corpo. O paciente assim energizado emite ondas de radiofreqüência semelhante às ondas de rádio, que são captadas através de computação criando imagens do corpo humano bastante detalhado, semelhante a cortes anatômicos, que podem ser estudados em vários planos (axial, coronal, sagital e oblíquo).

Aqui também conforme o caso pode-se usar contraste para melhorar as imagens, a base de Gadolínio, que é uma substância paramagnética atuando na intensificação dos sinais preponderantemente emitidos.

O Instituto conta atualmente com equipamento GE (General Electric) Signa 1.5 Tesla (alto campo) para garantir a rapidez, qualidade e confiabilidade de seus exames.


Mamografia

A mamografia é um tipo de radiografia especial das mamas, realizada com baixa dose de radiação e por um equipamento conhecido como mamógrafo.

O exame é a forma mais eficaz de diagnóstico precoce do câncer de mama, pois tem a capacidade de detectar lesões mínimas antes da sua manifestação clínica, ou seja, antes que se torne palpável. Sua maior capacidade está na detecção de microcalcificações agrupadas, uma das formas mais frequentes de manifestação do câncer, além de nódulos e outros sinais indiretos da presença da doença.

Quando o diagnóstico é realizado nessa fase, ainda no início da formação do tumor, evitam-se tratamentos mais agressivos, como quimioterapia e radioterapia, e as chances de cura se tornam muito maiores.

Orienta-se que o programa de rastreamento do câncer de mama deve ser iniciado a partir dos 40 anos, com exceção de mulheres que apresentem histórico de câncer na família, especialmente mãe, avó materna ou irmã. Indica-se então, o rastreamento a partir dos 35 anos, ou com dez anos de idade a menos que a idade em que o familiar foi diagnosticado.

Ultrassonografia ou Ecografia e Eco Doppler

É um exame que não utiliza radiação ionizante e pode ser realizado por qualquer pessoa, inclusive grávidas. Pela ausência de radiações ionizantes, o exame é seguro, sendo indicado para o estudo e acompanhamento da gestação desde os estágios iniciais até o seu final.

A ultrassonografia ou ecografia convencional é utilizada para examinar os diversos órgãos do abdômen, área musculoesquelética (músculos e tendões), estruturas superficiais (tireóide, glândulas salivares, mamas), assim como exames cerebrais em recém-nascidos e crianças de até um ano de idade.

Essa modalidade de exame também pode ser empregada para orientar punções e drenagem de coleções líquidas (fígado, rins, ascite, coleções purulentas, entre outras).

A ecografia ou ultrassonografia com Doppler é utilizada para o estudo de artérias e veias e é indicada para a detecção de tromboses venosas ou arteriais, de estenoses e ou oclusões arteriais, bem como, de aneurismas e de seu seguimento. Nas veias superficiais ele pode ser utilizado para mapeamento pré-operatório de varizes, confecções de fístulas para hemodiálise, e diagnóstico de tromboflebite. Pode ser empregado na gravidez para a aferição do fluxo sanguíneo materno-fetal, e também, para o estudo das alterações vasculares dos órgãos abdominais e da pelve. O acompanhamento de alguns tipos de transplantes (rim e fígado) também pode ser feito com essa técnica.

Tomografia Computadorizada

É considerado pelos especialistas médicos como um dos métodos de exame mais confiáveis e seguros disponíveis atualmente. A Tomografia é rápida, simples e totalmente indolor ao paciente. A Tomografia Computadorizada (TC) utiliza um aparelho de Raio-X que gira à volta do paciente, fazendo radiografias transversais de seu corpo.

Estas radiografias são convertidas em um computador em imagens chamadas cortes tomográficos, ou seja, a TC constrói uma série de cortes transversais, posteriormente montadas no computador para formar um quadro completo de órgãos e estruturas internas do corpo do paciente. Essa tecnologia permite a visualização de nódulos e cálculos milimétricos.

O aparelho de Tomografia Computadorizada Multislice Activion 16 permite alta capacidade diagnóstica e a realização de exames em alta resolução. Com a tecnologia Toshiba, esse equipamento de última geração garante altíssima velocidade na realização das imagens e resultado superior para a avaliação dos casos. É a tecnologia de ponta otimizando a qualidade de vida das pessoas.

Radiologia Geral Digital

É um exame de diagnóstico médico por imagem que tem como finalidade “tirar uma fotografia” de determinado ponto do corpo humano. Com o resultado desse exame, o médico passa a ter elementos para que, apoiado no exame clínico, possa fazer o melhor diagnóstico e propor o tratamento mais adequado para cada patologia.

Nós contamos com a radiologia convencional e, mais recentemente, passamos a dispor da radiologia digital. Esta última constitui um avanço significativo em relação à radiografia tradicional.

No equipamento tradicional o estudo é obtido da sensibilização de um filme comum por meio de raios-X. Na radiologia digital, o filme convencional é substituído por uma película especial, sensível aos raios-X, que é lida por equipamento moderno de computação, o que proporciona uma imagem de alta resolução.

A principal vantagem é a obtenção de imagens de melhor qualidade, o que proporciona maior sensibilidade na detecção de patologias. A radiologia digital é processada em uma estação de trabalho computadorizada, onde temos a possibilidade de processá-la com o uso de sofisticadas técnicas. Com isso temos ainda a possibilidade de fazermos diagnósticos cada vez mais precoces.

A radiologia digital possibilita a diminuição da repetição dos exames a que comumente o paciente está sujeito com a técnica tradicional. Com isso, diminui-se a freqüência de sua exposição à radiação ionizante. Outra vantagem é que sendo o processo totalmente digital nos permite disponibilizar os exames em CDs, facilitando o arquivamento das imagens para consultas necessárias.

Exames Contrastados:

Densitometria Óssea

A Densitometria Óssea estabeleceu-se como o método mais moderno, aprimorado e inócuo para se medir a densidade mineral óssea e comparado com padrões para idade e sexo.Essa é condição indispensável para o diagnóstico e tratamento da osteoporose e de outras possíveis doenças que possam atingir os ossos. Os aparelhos hoje utilizados conseguem aliar precisão e rapidez na execução dos exames, a exposição a radiação é baixa, tanto para o paciente como para o próprio técnico. O técnico do sexo feminino pode trabalhar mesmo estando grávida.As partes mais afetadas na osteoporose são: o colo do fêmur, coluna, a bacia e o punho. As partes de interesse na obtenção das imagens para diagnóstico são o fêmur e a coluna vertebral.Sabe-se que hoje a densitometria óssea é o único método para um diagnóstico seguro da avaliação da massa óssea e conseqüente predição do índice de fratura óssea.Segundo a Organização Mundial de Saúde, OMS, a osteoporose é definida como doença caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da micro-arquitetura do tecido ósseo.É recomendado que se repita anualmente a densitometria óssea para que o médico controle o acompanhamento evolutivo da osteoporose.O objetivo de se fazer uma densitometria óssea é avaliar o grau da osteoporose, indicar a probabilidade de fraturas e auxiliar no tratamento médico. O paciente não necessita de preparo especial e nem de jejum. O exame leva aproximadamente 15 minutos. A osteoporose pode ser controlada.